V MESA REDONDA COM AS CARTAS CIGANAS

Um evento que renova profissionais mas, acima de tudo, transforma pessoas.

Primeiro lote a venda.
Tenho certeza de que você não irá imaginar estar em outro lugar senão junto conosco, neste dia cheio de vivências enriquecedoras !

 

CLIQUE NAS IMAGENS ABAIXO PARA CONHECER A PROGRAMAÇÃO COM OS TEMAS E SEUS RESPECTIVOS PALESTRANTES

I

1 2 3 4

 

Quer saber como foi a IV Mesa Redonda ? clique aqui

 

Eu e o Lenormand, uma relação de ontem, hoje e sempre

Antes de ler, clique aqui para ouvir

Era o ano de 1990, contava com meus 12 anos quando vi a primeira vez o lenormand, nas mãos de um sacerdote que o manipulava com maestria. Ao olhar aquelas figuras, aqueles símbolos, e o como as cartas eram utilizadas, dispostas e tudo aquilo era traduzido em vida,  fiquei fascinado. O tempo passou, situações diversas ocorreram em minha vida e fui percebendo que a paixão pela cartomancia havia nascido naquele instante. Primeiramente com as cartas tradicionais do baralho francês. Mas foi no ano de 1996, que adquiri meu primeiro lenormand, na cidade de Manaus, comprado na rua da instalação, em um extinta casa de artigos religiosos.  Lembro daquele instante em que,  ansioso do outro lado do balcão (o lado do cliente), acompanhei com os olhos fixos as mãos da vendedora pegando aquela caixinha vermelha e entregando-a para mim. Abri a caixinha e tirei as cartas, tocando uma a uma com a sensação de tocar em algo sagrado ( e de fato o é), em um tesouro que acabara de ganhar. Depois percebi que junto dele acompanhava um livreto, o qual tomei como referência para meus estudos e práticas. Nascia naquele instante uma história de amor, um caminho que jamais imaginaria em tempo algum.

1435718764821

Não tive professores, instrutores, não fiz cursos. Era muito jovem e outras necessidades, escolares e familiares cobravam maior atenção, mas sentia-me orgulhoso em perceber que um cartomante começava ali seus passos. Passei alguns anos utilizando-o como conselheiro e consultor, para responder-me a questões de cunho pessoal e familiar. Comecei a jogar para meus familiares próximos e nesse ínterim, sentia necessidade em aprender mais, porém sem avistar possibilidades de estudos com outras pessoas. Foi então que psiquicamente corações amigos, Espiritos afins e simpáticos, apresentaram-se e passaram a me inspirar, ensinar, aconselhar, orientar no processo de jogar aquelas cartas, fiz então meus primeiros amigos cartomantes.

1435719314392

O Lenormand tornou-se instrumento de grande aprendizado sobre mim mesmo, ao ter de encarar, durante os exercícios de leitura que realizava sozinho, situações que se apresentavam desafiadoras a serem vividas e outras banidas do meu eu interno, algumas de alegria e outras que iriam promover dores profundas. Ah! Quantos sorrisos, quantas lágrimas que tingiram de experiência cada carta.

1435548690818

 

O cartomante lê como em livros dispostos em uma grande biblioteca  que, abertos, revelam vivências de alegrias sublimes e dores profundas, realizações, decepções, felicidade, desdita, coragem, medo, conhecimento,  vida e morte mas, acima de tudo, ESPERANÇA ! Ao receber conselhos e orientações de nosso inconsciente profundo e dos benfeitores que inspiram energeticamente cada lâmina e que se manifestam nas cartas exatas, nos símbolos, que caem nas posições certas e relacionadas umas com as outras com absoluta perfeição. Como se alguém estivesse arrumado tudo e dito: aí está você, sua vida seus caminhos, vai e age ! E esse “alguém” é o próprio universo, a própria energia cósmica que nos convida dia e noite à um novo amanhecer, ao conhecimento de nós mesmos. Quantos amigos, quantos corações que tive a honra de acessar  através das 36 cartas e que se apresentaram à mim como estes livros, verdadeiras obras e lições de vida. Quantas mãos, quantas histórias, quantas vidas !

1435720988745

Dez de dezembro de 2012 chego à cidade do Rio de Janeiro, berço de uma nova fase cartomântica em minha vida, encontrando seres que senti uma irresistível afinidade e carinho. Amigos muito queridos hoje a meu coração, encontrei um grande amor e, a cada dia que passa, encontro a mim mesmo. O horizonte se amplia e ainda tem muito a ser vivido, muitos desafios, muito a aprender. E conhecendo-me, encontro meus medos, aceito minha sombra, minha dor e me liberto, em um processo que leva tempo mas proporcionador de paz. Conhecendo-me encontro a mim mesmo, muitas vezes deixado lá atrás, naquela criança que sempre fui e, por muitos quadros pintados no caminho, turvou-se, enrijeceu-se, mas hoje essa criança torna a brincar com a cores, e nasce e renasce.

É Lenormand, você me ensina e muito.

Amo ser cartomante, amo a oportunidade de viver meu dia a dia com este baralho. Na oportunidade escrevo também meu amor pelo tarô que não foge à essa realidade em minha vida.

Acredito que o autoconhecimento é a única chave real para sermos melhores e felizes e, na minha religiosidade, encontrar à Deus, Olodumaré, a Deusa, enfim, à Consciência que tudo criou e esse encontro, ainda que aos poucos, nos faz brilhar nos momentos de alegria e fortalece-nos nos desafiadores testemunhos da Vida.

Obrigado Lenormand, gratidão à você, aos ancestrais  e ao universo que se amplia cada dia mais.

20140811_101521

 

 

IV Mesa Redonda com as Cartas Ciganas, obrigado !

27 de junho de 2016, uma data marcada nas páginas do livro de minha atual existência e para a eternidade a qual fui criado.

POMELO_20150628171856_fast_20150628223920824

IV Mesa Redonda com as Cartas Ciganas, um encontro de mentes e corações que, unidos pelo propósito de conhecer,  aprender, trocar experiências e tudo em clima de confraternização, faz das horas em que estamos juntos grande ensejo de transformação, estímulo e aprendizado.

11698941_850014498413854_7829851831517940566_o

Para mim, que participo desde a edição III (passada), tem sido grande fonte de alimento intelecto-moral e espiritual. O contato desde o pré evento, a interação espiritual entre  a equipe do evento, palestrantes e benfeitores espirituais, as inspirações dos amados guias,  responsáveis pelo trabalho do “outro lado da vida”, a troca de energias entre todos, de ambos os planos, o trabalho sério sobre estudos, pesquisas em torno de aspectos teóricos e práticos do lenormand e da vida, tudo isso faz deste encontro muito mais que troca de informações e experiências, mas uma vivência daquilo que nos faz verdadeiramente bem. É, me sinto em casa e em família, encontrei corações que trilham uma realidade conectada com minha missão pessoal de vida: promover qualidade de vida através do encontro consigo mesmo e com o outro.

Esta edição da Mesa Redonda também teve um marco para o Lenormand no Brasil e no mundo, trazido pelo querido amigo e notável profissional Giancarlo Schmidt que em breve será tratado com mais profundidade, aguardem !

Palestra com tema: Mediunidade, oficina de luz

Um evento que preenche antes, durante e depois.

collage_20150628194238353_20150628194316956

Depois do evento: papos, risadas, planos e muita confraternização !

Cheguei em casa com o corpo e mente cansados, mas o espírito vibrante de alegria e satisfação.

Presentes materializados que, mesmo na exaustão física, arrumei todos ontem, antes do descanso do corpo.

1435521419166

brinde do evento, que ganhei no sorteio, contribuição da Renata Vasconcelos: adorei o presente que o universo me deu!

1435521507631

Baralho de Dona Maria Mulambo, by Sônia Boechat Salema Mesmo ainda sem consagrar, embaralhei, cortei e no corte, as cartas “mulher” e “anel” já me disseram tudo sobre a função deste baralho em minha vida !

1435521617171

Vela untada e energizada, carinho de Chris Wolf com a energia do sol !

 

Os outros presentes, recebidos nos agradecimentos, pensamentos emitidos, no feedback que recebi  a respeito de minha palestra e do evento, nos abraços e beijos que guardo na alma, ah! quanta energia boa, que encontrei e encontro.

Gratidão é a palavra!

Até o próximo momento e já sentindo a energia da frase que diz:

Seja Bem Vindo (a) à V Mesa Redonda com as Cartas Ciganas !

11141302_989765471057112_376682705857222452_n

Tânia Durão, amiga, amada, nossa líder, minha sempre gratidão !

Palestrantes e parte dos que integraram o evento.

Foto by Maira Cassel – No Rastro da Lua

Oxum e eu. O encontro com o orixá

Há alguns dias, tive a bênção de ler a experiência de um homem, sacerdote de ifá, servidor dos orixás há 45 anos, Bàbàláwo Ifágbaiyín Agboola: Gilmar Oliveira.

10689837_766703010068048_979019052106939480_n

Bàbàláwo Ifágbaiyín Agboola

Uma experiência que tenho certeza não por acaso ter sido compartilhada em sua time line e  perfeita para uma reflexão que já trago faz tempo na intimidade e que desejava escrever.

Com a devida permissão e para publicar suas linhas, abaixo segue a narração.

Uma experiência narrada com a pena da verdade e a tinta das emoções, que me tocaram profundamente.

Ao Bàbàláwo Ifágbaiyín, o meu muito obrigado. Adupé !

 

Oxum e eu…

Na véspera da minha viagem para Nigéria, alguns amigos me perguntaram qual seria a razão da minha ida ao território Yoruba, respondi que a única razão naquele momento era ver Oxum.

Quando cheguei à casa da minha família, na cidade de Lagos, alguns dos meus irmãos, babalawos, me perguntaram qual a razão da minha viagem, e eu respondi,viajei do Brasil para ver Oxum.

Depois dessa conversa com meus irmãos, me foi dado carinhosamente um apelido: “Baba Osun”.

Em princípio achei um pouco diferente a brincadeira, e não entendi a razão do apelido.

Alguns dias se passaram, e viajamos para Osogbo, eu não sabia o que me esperava, mas sempre que alguém me perguntava, qual a razão da minha viagem à Nigéria, eu respondia, ver Osun.

No dia da festa de Oxum, tirei várias fotos, fiz vários filmes, e vivi momentos inesquecíveis, consegui em meio a milhares de pessoas chegar à beira do rio, e lavar a minha cabeça, enquanto fazia meus pedidos para Oxum.

Depois de várias horas, participando das festividades, decidimos voltar, pretendíamos fazer algumas compras em Ibadan.

Na caminhada de volta, saindo do santuário de Oxum, me perdi dos meus companheiros, e nosso grupo foi dividido. Por uma estranha situação, vários homens armados, que faziam a segurança de um político importante, geraram uma certa inquietação em meio às comemorações (eu desconhecia o fato de ter acontecido naquela semana um atentado terrorista na capital), me afastei do grupo sem perceber em meio à confusão.

Caminhando de cabeça baixa, olhando em minha máquina as fotos que já tinha tirado, distraído, fui levado pelo destino ao encontro dela.

Levantei a cabeça, e ela estava diante de mim!

1431298900861

A emoção não impediu, que eu tirasse uma bela sequência de fotos.

Tudo que eu disse, aconteceu como por milagre. Em meio à confusão, tomei o caminho errado, e fui em direção a um lugar privado, me deparando com a razão da minha viagem. Nesse momento a segurança dela se perdeu, eu também estava perdido, mas ela me encontrou.

Sei que em pouco tempo as fotos aqui postadas, vão correr o mundo, e muitos serão aqueles que vão se dizer proprietários das mesmas, as fotos podem ser levadas, mas a emoção que vivi jamais alguém vai me tirar.

Bàbàláwo Ifágbaiyín Agboola.”

 

Diante de tudo isto, fica a reflexão para todos que fomos escolhidos pelos orixás:1431297072339

Como está minha relação com meu orixá? Apenas nas vestes, perfumes?

Que movimentos faço em meu dia a dia que fomentam esta relação?

Eu de fato encontrei meu orixá?

Eu de fato, sinto os orixás?

Qual minha postura em relação à estas forças da natureza?

Que consciência tenho dessas energias em minha vida?

Se ainda não tens estas respostas e as mesmas não interessarem, vale refletir no que estás fazendo, a quem (se) estás louvando e o que precisa mudar.

Consciência é também compromisso e compromisso é vida!

Certamente, ao sintonizarmos com nossa própria essência, portanto com nossos orixás, estaremos ensejando o grande e verdadeiro encontro, rumo à um equilíbrio interior e consequentemente dispondo das ferramentas para viver melhor e com mais qualidade !

Asé !
1431296860905

 

Quantas chances você tem ?

Antes da leitura, assista o vídeo:
obs.: A música está sem legenda e, caso deseje, leia a letra antes.  ;)

Um dia normal (Be Japy)
Tudo parece bem
Luzes em movimento perfeitas pro trabalho
Os fones de ouvido são como escudos em um silêncio
Como seria se você prestasse atenção?

Oooooo Outra chance de mudar, perdida…
Haverá outras, mas primeiro você deve encontrá-las
Este é o dia, não desvie o olhar
Das rotas da humanidade hoje
Porque esta vida, vida, vida, vida é muito curta para se perder uma chance

Todas as noites assistindo tv
Há uma outra miséria
Apenas as imagens e números que você vê, mas não liga
Como rotina, feche os olhos e vá dormir
Como seria se você prestasse atenção?

Oooooo Outra chance de mudar, perdida…
Haverá outras, mas primeiro você deve encontrá-las
Este é o dia, não desvie o olhar
Das rotas da humanidade hoje
Porque esta vida, vida, vida, vida é muito curta para se perder uma chance

É apenas uma música
As mudanças só começam na sua mente

Oooooo Outra chance de mudar, perdida…
Haverá outras, mas primeiro você deve encontrá-las
Este é o dia, não desvie o olhar
Das rotas da humanidade hoje
Porque esta vida, vida, vida, vida é muito curta para se perder uma chance

***

Em certa madrugada do mês de Janeiro deste ano, uma amiga compartilhou em sua time line, este vídeo que sugeri assistí-lo antes, o que despertou logo minha curiosidade, pelo título que tinha (Another Chance). Assisti e não imaginaria que seria tão tocado na emoção. Refleti muito, pensei em várias situações de minha existência, o quanto a vida me presenteou, o quanto posso contribuir com o mundo, etc. Não consegui dormir, pois precisava pesquisar a autoria do vídeo para então publicá-lo com os devidos créditos aqui no site, e também com a necessidade de escrever algo, de materializar tudo o que sentia no momento, relembrando os tesouros da alma que a Vida me proporcionou até então. Pesquisei, encontrei e escrevi um texto, mas decidi publicá-lo meses depois. Tinha uma viagem marcada e tiraria um tempo para observar-me até que ponto fui de fato mexido, até que ponto as linhas traçadas seriam manifestadas em ações.

Muitas vezes ao lermos um texto, livro, assistirmos um vídeo, derramamos lágrimas, dizendo “que lindo!”, “verdade”, “é isso aí”, etc. Porém, se nada fizermos em termos de ações, que valor terá? A mensagem é linda, mas isso me fez alguém melhor? a resposta é meditação pessoal.

Mas como diz o velho ditado: “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura.” Nada na vida se perde quando o movimento que fazemos é para algo enobrecedor.

E falando na “pesquisa”, o que encontrei? um projeto lindo, idealizado por quatro amigos. Eles citam (e eu concordo plenamente) que redes sociais, pelo grande poder de acesso que tem, podem ser excelentes veículos de transmitir coisas boas, benéficas, que nos deixam melhores. E foi quando nasceu o “be japy e.V.”! (lá no site deles e em sua página no facebook tem como conhecer o belo trabalho, sua filosofia e até como tudo começou tem neste vídeo). Eles são da Alemanha e a viagem que fiz foi exatamente para lá mas, infelizmente, ainda não tive a oportunidade de conhecer esse trabalho e seus idealizadores fisicamente, pois tive outros afazeres, mas isso é questão de tempo. De qualquer forma, independente do lugar é fazer a diferença !

heart-583895_1280

Grupos tem vários pelo Brasil e pelo mundo, pessoas existem muitas que praticam ações muito nobres e pra isso não precisa necessariamente estar vinculado à nada, nem religião, basta que o coração comande! Este exemplo escolhi porque mexeu comigo pelo ideal e por utilizarem a Arte, em especial a música,  que tanto tenho apreço, no serviço do bem ( toca violão ? eles ensinam aqui )
Hoje, após alguns meses, noto que realizei certos movimentos que contribuem para meus objetivos existenciais, dentre eles, estar aqui, compartilhando com você, minhas emoções que, organizadas, construíram as seguintes linhas, inspiradas na música “Another Chance”:

Um dia normal

Hoje é um dia, será um dia ou foi um dia normal para você?

Sempre a rotina e o mundo “lá fora” não param. Com sorrisos e lágrimas, vitórias e derrotas

Qual a música que tenho “dançado”? o que tenho “cantado”? se eu pudesse definir, qual seria a melodia da minha vida hoje?

Qual a minha razão de viver? E percebo que o mundo “lá fora” é aqui dentro, dentro de mim mesmo, e que vai refletir ao redor de mim

Você tem a chance, uma ´outra chance para mudar a música’

Mas isso ninguém o fará por você, somente você mesmo

Justificativas? ah, usamos todas! isso você sabe! Mas tem um momento que cansa, a gente cansa de cansar! E suspiramos, ah! como suspiramos

E percebemos que falta algo, um algo mais, é a melodia, a melodia da sua vida, uma nova melodia

Um dia normal…

Fazer diferente, por que não?

Enquanto você está aí, em seu mundo fechado, de dores e alegrias, de anseios e desejos, tem mais “lá fora”. Quebre essa casca, saia de si mesmo, desnude-se!

Tente, tente uma nova melodia

Todas as noites, no recanto do seu lar
Há muita coisa ao seu redor e muitas vezes dentro de você, vamos olhar?

Mostre o caminho para você mesmo!

Alguém também mostrará para você!

E você sempre terá a chance de mostrar o caminho para alguém

Faça, simplesmente, faça

Um dia normal

door-672999_1280 (1)

Caixão e Rainha de Copas

 

 

Olhar o fim de um ciclo, de uma crença que morre, valores que hoje já não fazem mais sentido, uma nova fase de vida, com os olhos da Rainha de Copas, é perceber-se identificado com os próprios recursos, a ponto de compartilhá-los com os outros, em um processo de interação com o meio através da interação consigo mesmo. E surge a crise e vem o ensejo de crescer. As emoções para se harmonizarem perturbam-se profundamente, em um desafio interno de autoconhecimento e libertação das próprias amarras. A Rainha que prende-se, amarra-se, vincula-se, sofre duas vezes, senhora da afetividade, depara-se com o ensejo de crescer.

 

 

 

 

Caixão e Rainha de ♥: Momentos de ressentimentos e emoções negativas ‘morrerem’ ou melhor, transformarem-se, feito a água límpida que ao ser lançada no interior de um vaso sujo de terra e imediatamente sair turva através do orifício em seu fundo, após alguns minutos, novamente tornar-se límpida. A terra: os esforços, a crise, para onde o caixão segue, aquela que o caixão abraça. A água, o elemento que límpido, depois turvado pelos esforços e um processo que a terra simboliza, tornando-se renovada e pura – a essência de nossos sentimentos !
Identificar essa Rainha de Copas vivendo o caixão e dessa vivência direcionar passos firmes adiante, sem medos, é convite da Vida, a fim de vivê-la com mais qualidade.

 

Lovers Tarot. Jane Lyle

Lovers Tarot. Jane Lyle

 

IV MESA REDONDA SOBRE AS CARTAS CIGANAS

A programação da quarta edição já está pronta e os ingressos à venda. Mais uma vez Copacabana, na cidade maravilhosa, sediará este encontro !

Quem pode participar?
Você ! cartomante ou não, pois é “aberto ao grande público e não exclusivamente a cartomantes, principiantes ou não. A postura da organizadora e dos palestrantes é de se aproximar dos participantes e colocar-se disponível para uma discussão profunda, saudável e enriquecedora a cerca das questões do dia a dia.”

Qual o objetivo do encontro?
Ampliar o significado dos símbolos contido em cada carta, dando ênfase ao significado psicológico, terapêutico e espiritual que As Cartas Ciganas mostram, o que torna útil para muitos que precisam deste conhecimento e aconselhamento.

Quer saber mais sobre o evento ?  clique aqui

cartasciganas2015

 atualizado

A terceira edição, em 2014 (dê uma olhada em algumas fotos),  que tive a honra de participar, foi maravilhosa ( veja post sobre minha participação) e tenho certeza de que este ano teremos gratas surpresas, muito aprendizado em um clima de confraternização, amizade, alegria e satisfação.

Reserve logo sua vaga e marque sua presença, aguardamos você lá conosco !

Grande abraço !

 

Mensagem de Natal

para ouvir enquanto lê com os olhos do coração:

Escolhemos esta mensagem, que retrata, a nosso ver, a excelência desta data, em um tempo que, mesmo diante  de guerras, dor, do mal prevalecendo em muitos corações, o planeta muda de certa forma sua vibração. Há aqueles que exortam o pessimismo, justificando sua conduta  como “ver o mundo como ele é e sem hipocrisias”, todavia, nada mais vêem que a treva na qual vivem, muitas vezes sem perceberem-na, assim somos muitos de nós.
Jesus, o divino exemplo, serve a todos, independente de religião, como referencial ímpar de boa conduta moral e humana. Jamais obrigou a quem quer que fosse a segui-Lo, a ser cristão, somente amar, amar-se a si mesmo e por consequência esse amor seria expresso aos outros.
Jesus, o convite, o companheiro, um exemplo de amor , do verdadeiro amor que ainda não conhecemos!
Quem conheceu a Jesus, jamais foi o mesmo, a história está aí para nos mostrar.
Independente do ano, de seus feitos, deixe pra lá, faça hoje, amanhã, depois e depois. Viver o amor é exercitá-lo incansavelmente, até que ele nos transforme sem que o percebamos.
Não esperemos do mundo a paz que precisamos, nem o amor, nem os aplausos, façamos a nossa parte para que, mais fortes, possamos caminhar a dura senda de espinhos e deliciarmo-nos com o perfume das pétalas das rosas de nosso jardim de amor.


Tenha um excelente natal e que ao sintonizar com essa energia cósmica, percebida com mais ostensividade nessa época do ano devido nossa sintonia, possamos recebê-la na intimidade de nossas almas.
Mensagem recebida por inspiração do Espírito Laurence.

São os votos de Tato Cunha, muita paz !

“Diante do bolo iluminado, abraças, feliz,
os entes amados que chegaram de longe…
Ouves a música festiva que passa, de leve,
por moldura de harmonia às telas da natureza…

Entretanto, quando penetrares o templo da oração,
reverenciando o Mestre que dizes amar,
mentaliza o estábulo pobre.
Ignoramos de que estrela estaria chegando o Sublime Renovador, mas todos sabemos em que ponto da Terra começou ele o apostolado divino.

Recorda as mãos fatigadas dos tratadores de animais,
os dedos calosos dos homens do campo,

o carinho das mulheres simples
que lhe ofertaram as primeiras gotas do próprio leite
e o sorriso ingênuo dos meninos descalços
que lhe receberam do olhar a primeira nota de esperança.

Lembra-te do Senhor, renunciando aos caminhos constelados de luz para acolher-se, junto dos corações humildes que o esperavam, dentro da noite, e desce também da própria alegria, para ajudar no vale dos que padecem..

Contemplarás, de alma surpresa, a fila dos que se arrastam, de olhos enceguecidos pela garoa das lágrimas.
Ladeando velhinhos que tossem ao desabrigo, há doentes e mutilados que suspiram pelo lençol de refúgio na terra seca.

Surgem mães infelizes que te mostram filhinhos nus e crianças desajustadas para quem o pão farto nunca chegou.

Trabalhadores cansados falam do abandono e jovens subnutridos se referem ao consolo da morte…

Divide, porem, com eles o tesouro de teu conforto e de tua fé e nos recintos de palha e sombra a que te acolhes,
encontrarás o Cristo no coração, transfigurando-te a vida,
ao mesmo tempo que, nos escaninhos da própria mente,
escutarás, de novo, o cântico do Natal,
como de repetido na pauta dos astros:

- Glória a Deus nas alturas e boa vontade para com os homens!”

psicografado por Francisco Cândido Xavier. Pelo Espírito Meimei.

1419370408828